Sobre a busca pelo meu parto.

Gostaria de deixar claro algumas coisas sobre meu parto, já que nem todo mundo acompanhou minhas buscas na gravidez. Na época eu escrevi bastante no Facebook, mas depois disso conheci muitas outras pessoas.

Sempre quis ter parto normal. Sempre. E sempre achei que seria respeitada no momento do parto, tipo, se eu quero parto normal, então o terei! BASTA EU QUERER.Bem… ao longo da gravidez, FREQUENTANDO GRUPOS, descobri que não é nada disso. No GAMA – Grupo de Apoio à Maternidade Ativa e com o Grupo MaternaMente ABC, com INFORMAÇÃO, descobri que vivemos em um país onde quem manda não é a mulher que está parindo. É seu médico. E não é assim do tipo “eu vou fazer cesárea” com todas as letras, porque se fosse assim seria fácil, era só falar “ok então vou para outro médico”!

A coisa é bem mais complexa. Eles passam a gravidez te enganando, achando pêlo em ovo, pra te fazer acreditar que realmente vc está “doente”, que seu filho tem problemas, que os dois podem morrer. Acreditem, eu passei por isso! É terrorismo a gravidez inteira, até que no final dela, você, já descrente, aceita o fato de ser cesárea. LÓGICO, muitas vezes é necessário faze-la, e quando ela é necessária, OK! Se precisa fazer, precisa! Entendo e entendia perfeitamente isso. Só que são POUQUISSIMOS os médicos que fazem cesárea REALMENTE quando é necessário! Mas porque isso? que interesses eles têm ao “marcar” cesáreas?

Com a cesárea não precisa esperar o tempo da mulher. É mais fácil marcar a cirurgia, pois assim ele pode fazer mais cirurgias, e com isso ganhar mais! Sim, porque parto normal paga menos, os planos de saúde pagam bem mais quando é necessário fazer cesárea, já que “o médico teve mais trabalho”. Vocês sabiam que a taxa de cesáreas nos planos de saúde é MAIOR do que pelo SUS?

Pois é, tudo isso descobri ao longo da gravidez, antes disso eu realmente achava que seria respeitada, sendo a minha opção qual fosse! Mas senti na pele o desrespeito, primeiro do meu médico “de infancia”, e segundo pelo meu médico da UBS, pelo SUS, que NÃO QUIS NEM CONVERSAR sobre a minha opção de Casa de Parto, ele NÃO SE ABRIU EM NENHUM MOMENTO para me ouvir, quem mandava era ele, e foi exatamente isso que me deu mais raiva, me senti totalmente desrepespeitada. E hoje acho tão bom que essa raiva tomou conta de mim naquele momento, pois foi a partir daí que passei a lutar pelos meus direitos! Nunca na minha vida lutei com tanto afinco por algo.

E tem outra coisa que cheguei à conclusão nesses 9 meses de gravidez, aí fica explicado que O BURACO É BEM MAIS EMBAIXO, que os médicos não são assim simplesmente porque eles querem, nas FACULDADES DE MEDICINA os alunos APRENDEM que É MELHOR FAZER UMA CESÁREA, essa idéia é passada dentro da faculdade! Então, por exemplo, se eu quiser xingar o meu médico porque ele não quis me respeitar porque eu quis parto normal, eu até posso, mas isso não vai resolver, porque ele APRENDEU assim!

É por isso que essa luta é tão grande e intensa! Não é simplesmente PARIR EM CASA, CASA DE PARTO, HOSPITAL, onde for, é simplesmente a MULHER TER O DIREITO DE ESCOLHER COMO VAI VIVER ESTE MOMENTO! Nos é tirado este direito!

Por isso eu PEGO EM ARMAS, SIM! Quero ser respeitada!!!!! Independente da minha escolha, que ela seja ouvida!

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre a busca pelo meu parto.

  1. Maravilha de post, Carol!!! Não é à toa que estou estudando os conflitos de interesses nas decisões por cesárea. Para mim, só há um caminho para a mudança: as mulheres e parceir@s entenderem isto que você fala e sairem da ingenuidade, exigindo seu direito de escolha de volta! VIVA!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s