[Link] A birra e a terapia do abraço

Clique neste link:

A birra e a terapia do abraço

“Eu já tinha percebido que o que ela queria era que eu entrasse no estado que ela estava, para que continuasse me agredindo, verbal e fisicamente. Se recusava a me olhar nos olhos e se irritava profundamente porque eu insistia em falar num tom muito baixo com ela. Nesse momento de fúria visceral, uma calma de monge budista me invadiu. Parte por instinto, parte por já ter visto/lido muita coisa sobre situações extremas da maternidade.”
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s