Por que somos tão egoístas com as mulheres grávidas?

A primeira coisa que sinto, como mera mortal e humana, rs, é muita ansiedade… fico esperando alguma delas postarem em seu Facebook uma foto do bebe, dizendo que ele nasceu. Mas, ao invés disso, elas todas ficam postando outras coisas, o que me deixa ainda mais ansiosa. Pensando, tipo: esse bebê não vai vir, não, Cazzo! Que saco ficar esperando! …

reflections_i98É aí que caio na real, e me coloco no lugar delas, nas minhas ultimas semanas de gestação. E digo pra mim mesma: acorda, Carol. Deixa de ser ansiosa. Deixa de ser egoísta. Sim, a palavra é egoísmo. Vejamos o significado de egoísmo, segundo nosso querido dicionário Aurélio: s. m. Sentimento ou maneira de ser dos indivíduos que só se preocupam com o interesse próprio, com o que lhes diz respeito. Por mais que seja totalmente compreensível essa nossa ansiedade do lado de fora, de quem não está ali, vivendo a situação, por mais que seja compreensível também que as pessoas que nunca estiveram grávidas não entendam essa situação, é dever de todas as pessoas que gostam da mulher que vai parir, pensarem um pouco mais nela. Mesmo que seja difícil, fazer um esforço de se colocar no lugar dessa mulher.

E aí, já depois de ter caído em mim, me lembro da pressão que sofri nas últimas semanas. Todas as pessoas da família ligando para saber, a cada vez que eu postava algo, nos comentários só apareciam: mas você ainda tá aí! Ainda mais em uma cultura de cesárea às 39 semanas como é aqui no Brasil, as pessoas têm ainda menos costume de saber esperar o tempo da mulher. Afinal, o tempo certo, infelizmente, quem diz é o médico (mas isso ha de mudar!).

Pessoalmente, essa experiencia de estar do lado de quem espera outra mulher parir, está me ensinando muitas coisas sobre a questão cultural da cesárea no Brasil, e me faz pensar que é da nossa cultura mesmo não saber esperar, querer tudo para ontem. As facilidades tecnológicas também nos fazem sentir que tudo vem fácil e na hora em que queremos. Que tudo virá quando eu digitar algo no Google. Mas a verdade é que o tempo da espera de um bebê vai na contramão de tudo isso. É vida, não é botão. Vai na contramão, porque temos que fazer o exercício de desconstruir o que nos foi ensinado desde sempre dentro dessa cultura da informação, onde tudo vem rápido e na hora em que o nosso Ego bem entender.

É hora de, assim como a gestante, parar com tudo. Com a ansiedade, com as expectativas. É hora, mais do que nunca, de sabermos esperar o tempo deste bebê que está para chegar. É hora de sabermos respeitar a natureza e suas surpresas. É um exercício para todos nós, para toda a vida: quem deve mandar, de verdade, é a natureza, e não nós. Isso vale para quem está esperando a gestante parir, e para a gestante também. Todos nós devemos entender que somos um pontinho no universo. Que a natureza sabe fazer seu trabalho, e confiaremos nela. É hora de pensarmos menos em nós. E pensarmos neste mundo como um só, deixando de lado, para sempre, esse sentimento chamado egoísmo.

Imagem: http://www.emel.com/images/reflections_i98.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s