Encontros e despedidas.

Pra ouvir enquanto lê: https://www.youtube.com/watch?v=FiLYn6Xkn8U.

A hora do encontro é, também, despedida…

IMG_2775

Filha, se eu te contasse quantas coisas foram embora na minha vida com a sua chegada, você não acreditaria.

Antes de você, eu sei lá, não sabia me respeitar. Aceitava migalhas, implorava amor, saía por aí amando qualquer pessoa que me desse o mínimo de atenção.

Daí você chegou. E trouxe com você um presente para mim: amor próprio. Sim. Com a tua chegada, me senti mais forte. Em seu parto vi o tamanho da minha força. E hoje, 5 anos depois, me vejo tão distante daquela terra onde eu estava, antes de você. Sempre que alguém me fala de algo que aconteceu antes da tua chegada, eu quase não me lembro. Porque sua presença deu sentido aos meus dias.

Não importa o que você faça, ou o caminho que decida seguir. Talvez você siga para um lado que eu não concordo muito. Algo que não quis para você. Ou talvez, sim você siga o que penso e acredito que seja bom pra ti. De qualquer forma, não importa, a sua presença já faz diferença na minha vida, de um jeito que poucas pessoas entendem. O seu nascimento foi seu – porque você chegou – mas foi meu também, porque eu te pari. E pari de um jeito especial, de um jeito que a vida me mostrou que eu sou forte, que sou Valente, sim. Algo que nunca acreditei, algo que o mundo sempre me disse ser o contrário.

Você veio já no meio da rebeldia e surpreendendo a todos. No meio da minha baixa auto-estima, você passou pela minha vagina e rasgou tudo de ruim que havia dentro de mim. Rasgou meus papéis velhos, sem importância. Rasgou minha falta de confiança. Muitas coisas não entendi na hora, nem depois. Muitas coisas só entendo agora. Muitas coisas só vou entender daqui 10 anos. Aquele dia – 13 de junho de 2011 – tem tamanho significado, que talvez algumas coisas eu vá entender só quando estiver bem velhinha.

Mas uma coisa eu sei e nunca tive dúvida: independente do caminho que você siga, você já me transformou. Já me curou. Já me deu tamanho amor próprio, necessário para enfrentar tantas lutas que tenho vivido. Na verdade, não foi você, fui eu. Pois eu fui muito forte e enfrentei meus monstros da gravidez e do parto. E através da tua vinda, descobri algo que sempre esteve aqui. Minha força, minha luta.

Eu só consigo agradecer.

Obrigada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s